quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CÍCERO INSENSÍVEL


Peixes: signo da água,assim como câncer e escorpião. Gosto do plural sonoro, assim como gêmeos - meu primo-irmão-emocional é geminiano - diz que eu sou um anti-emocional emotivo (nunca entendi). Queria ser do rock, meio Cícero das transas. Mas meu mapa também tem Touro, tem áries... Gosto, mesmo, é do meu meio céu em Aquário, acho foda. A matemática da sujeira existencial. Água, terra, fogo e ar. Quem me dera, Brôu. Sempre apaixonado. Triste sem paixão.

INSPEÇÃO DE SEGURANÇA

Meu quarto se tornou
meu consultório
onde eu me receito
onde eu me credito
onde eu me ofendo
me perdoo
me conduzo
me seduzo
confuso
confuso

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

FODIA NASCER FELIZ

Dizia muito que amanhecer por aí
engana as lágrimas
talvez, depende de quem chora ou ri

vida de escravoceta
vida de hora em hora
vida que se sente

quem diria

dinheiro trás felicidade
claro que sim

depois disso é poesia
prosa e verso
desarmando tudo

pro dia morrer
assim

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

CARNAVAL

E tinha aquela coisa

da Sofia andar pela casa se amparando nas paredes, né?

um sábado ficamos só nós dois lá embaixo

eu falava com ela

e ela nem aí pra mim

eu cantava, dançava, como sempre macaquices

até hoje é assim

minha vida paterna sempre foi a luta pelo sorriso da Sofia

já cansado, falei, meio invocado

- ah, sofia, vem cá!

Ela parou, antes de dobrar para a cozinha

olhou pra mim com aqueles olhos bem azul-verde abracadabras

fez assim com as sobrancelhas

disse de novo

- vem cá, vem?

e ela veio

atravessou a sala de bracinhos abertos

surpresa consigo mesma

meio que achando que era eu quem a fazia andar por ela

depois disso, nunca mais

UM LUGAR PARA DORMIR

Quase durmo na rua, ontem.
Queria pegar um ônibus que rodasse a noite toda, sem escalas, até umas oito da manhã.
Nem todos têm um lar, mesmo assim, se acostumam.
Grandes esperanças.
Falta de considerar as considerações.
Tanto amor e trabalho por nada.
Pior é o suor do nosso rosto não ficar conosco.
Ser escravo da honra.
Sempre fazendo o que é certo.
Mas deve haver um meio termo.
Muito em que pensar.


terça-feira, 9 de maio de 2017

DESCAFEINADO

Diane Arbus

Alho psicológico: Só se sabe o que se sente depois de muito se sentir. Há um não pertencer à mais na classe dos platônicos descafeinados. Poesia varrida e bobagens, meu bem. Molhos de chaves roubados. Eu já disse que esqueci que dia e hoje? Não se importe em recolher capas de discos espalhadas. Eu prefiro assim. Nico cantando baixinho em meus ouvidos pra te decantar. Alguém assoviando lá embaixo. Teclados virtuais. Qualquer drink é a sede antes da sede. E o sinal de fumaça daquele último trago, que te traria aqui, perdoe, anjo, desapareceu.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Auf Wiedersehen



Baltasar Gracián dizia que a reputação depende mais do que se esconde do que aquilo que se mostra.
Portanto...

Se você não pode ser bom, seja cuidadoso.
Inicio, hoje, uma nova fase.
Boa?
Talvez não, nem cuidadosa - me firo em meus espinhos.
Voltar a escrever - meu sonho, como, também, a música em minha vida líquida.
Dessa vez, de um jeito mais disciplinado, contudo, livre.
Transbordar.

Devo isso e saúdo. como aqueles vão morrer por um imperador.

Rendo-me, agora, a todas as palavras que me assombraram nos últimos quatro anos.
Elas venceram.



(Estou tentando não dar a entender que a academia acabou com a minha criatividade)



Até logo, em alemão.


quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Desmontando Narrativas

Me disseram, ontem, que um livro com o autógrafo da Clarice foi encontrado num sebo de Belém. Garimpeiros, vamos lá.

Enviado pelo meu Windows Phone

Espeluncas Blues

Por quê?

Enviado pelo meu Windows Phone
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...