quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

NÃO TEM NADA DEMAIS (de Marcos Salvatore)

by Arthur Fellig "Weegee"

Você não quer beber, não quer falar
Não quer fumar porque está desempregado
Isso te faz beber o caldo calado e sonhar
Com aquele emprego no estado

Isso não é sua vida últil, não é o fim, não é azar
O barato da neura é a paranóia que dá
Não tem nada demais em contar as moedas num bar
A gente ainda pode estar e beber lá no Bazar

Até o dia em que você se toque
E não queira mais viajar para outro lugar
Nem saber do Bigode, meu amigo, eu juro que juro
Que te dou um toque pra um próximo concurso público

Mas se continuar com essa cara
Eu te canto um som do Sérgio Sampaio que ninguém resiste
Pra sambar por aí, prisioneiro solto na patifaria
Naquele Carnaval de varar, de alegria, de noite e de dia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...