segunda-feira, 8 de junho de 2015

O PESO DA BARRA



O embate com as palavras
Uma mórbida repetição de padrões
O peso da barra
Narrativas sem bússola
Poesia varrida
Instalo-me eu,
Meus panos de bunda,
E os quase-nadas dos meus trinta e oito anos
Por ali provoco
E habito em cantos escuros da casa
Minhas manchas de lembranças
E sou um só imediato
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...